Equilíbrio é tudo!

Quando você pensa em saúde, o que lhe vem à cabeça? 

Certamente, alguns pensarão em ausência de doenças graves. Mas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social.

Slide integra Curso Qualidade de Vida no Trabalho

Difícil, né? Porém, ter saúde deve ser o seu projeto mais importante. 

Ah, mas no momento atual ( pandemia do COVID 19) atingir este estado não seria uma utopia? 

Vamos refletir um pouco. Como estava a sua saúde no ano passado? Você sofria de pressão alta ou sobrepeso, dores de cabeça, estresse elevado? E atividade física? Quanto tempo parado em frente à tela do computador ou do celular? Quanto tempo interagindo com amigos e família?

Percebeu que a sua saúde já não estava lá essas coisas?

Isto demonstra que o mundo atual não está favorecendo a nossa saúde. E o que podemos fazer? Existem inúmeras ações, mas a busca pelo equilíbrio deve liderá-las.

Durante os últimos meses, várias empresas, apoiadas por Medidas Provisórias, negociaram cortes de salário e de benefícios de seus empregados. No topo das maiores despesas das empresas está o custo dos planos de saúde corporativos. Mas, segundo pesquisa recente  do jornal Folha de São Paulo, 80% dos empregados não aceitaram abrir mão deste benefício. Estes empregados acham que estão protegidos por ter um plano de saúde, mas isto é uma ilusão.

Quem nunca deixou de ir a um médico, por falta de tempo? 

Assista nosso vídeo sobre gestão do tempo.

Ou deixou a solicitação de exames que o médico prescreveu indefinidamente na gaveta? Ou não retornou para apresentar os resultados dos exames? 

Se você está empregado e tem um plano de saúde ou pode arcar com seus custos de maneira privada, ótimo. Mas ter a garantia de internação num hospital de renome não garante a sua saúde. É isso que você tem que ter em mente: a busca pelo equilíbrio na sua vida! 

Muitos dirão: “Falar é fácil. Quero ver ter equilíbrio estando desempregado e os boletos chegando ou, mesmo estando empregado, trabalhando sob enorme pressão diária”. Não vou negar a dificuldade, mas em nenhum momento disse que era fácil. Disse que era necessário, fundamental. Morrer todos nós iremos, mas viver sem qualidade de vida é que é o problema.

Quando você consegue tornar a busca pelo equilíbrio uma rotina na sua vida, passará pelos momentos bons com menos euforia e pelos ruins com mais calma.

Minha avó costumava dizer: “Nada como um dia atrás do outro e uma noite no meio”. Ela, que nunca frequentou o ensino formal, possuía a sabedoria de que não adianta se desesperar ou tomar decisões “no calor” do momento. 

Pare. Respire. Durma. Dê uma pausa para seu cérebro se recuperar e buscar uma saída. 

Encontre aquilo que lhe dê prazer e tranquilidade. Dançar, nadar, correr, caminhar, meditar, cozinhar, brincar com as crianças. 20 minutinhos por dia. Todos os dias. Dá prá fazer quaisquer dessas atividades de graça. Encontre a sua. 

Corrida do Bem 2019
Crédito foto: @nevesigor

Dançar numa hora dessas? Minha avó, de novo ela, também dizia:” Tristezas não pagam dívidas”. Não é que você não esteja “ligando” para os problemas. Ao contrário, é uma maneira de proporcionar oxigênio ao seu cérebro para que ele identifique seus reais problemas e encontre opções de saída para eles.

E quando a situação estiver sob controle, será que as empresas reformularão sua formas tradicionais de trabalho? Alguns empecilhos:

  1. Mesmo em empresas de médio a grande porte, a média gerência tem dificuldade em estabelecer quais as entregas dos empregados;
  2. Executivos e gestores confundem produtividade com a quantidade de horas que os empregados passam no local de trabalho; e
  3. Executivos e gestores têm apego ao poder e controle sobre os empregados.

Ou seja, a mudança estrutural do trabalho vai acontecer, mas será na velocidade da mudança do mindset dos gestores, para que as longas jornadas de trabalho, bem acima das 40h semanais legais, ou as horas perdidas no trânsito sejam a exceção a nossa rotina de trabalho. 

Crédito foto: @nevesigor

Tudo isso comprova que o problema não é somente ter ou não ter um emprego formal. O problema maior é você ter ou não ter equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Administradora. Professora de Administração da UFF/Cecierj. Pós graduada em Gestão de Pessoas. Especialista em processos de gestão de pessoas. Avaliadora do SEBRAE no Prêmio MPE-RJ 2016. Perita Judicial TJRJ.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.