Equilíbrio é tudo!

Quando você pensa em saúde, o que lhe vem à cabeça? 

Certamente, alguns pensarão em ausência de doenças graves. Mas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social.

Slide integra Curso Qualidade de Vida no Trabalho

Difícil, né? Porém, ter saúde deve ser o seu projeto mais importante. 

Ah, mas no momento atual ( pandemia do COVID 19) atingir este estado não seria uma utopia? 

Vamos refletir um pouco. Como estava a sua saúde no ano passado? Você sofria de pressão alta ou sobrepeso, dores de cabeça, estresse elevado? E atividade física? Quanto tempo parado em frente à tela do computador ou do celular? Quanto tempo interagindo com amigos e família?

Percebeu que a sua saúde já não estava lá essas coisas?

Isto demonstra que o mundo atual não está favorecendo a nossa saúde. E o que podemos fazer? Existem inúmeras ações, mas a busca pelo equilíbrio deve liderá-las.

Durante os últimos meses, várias empresas, apoiadas por Medidas Provisórias, negociaram cortes de salário e de benefícios de seus empregados. No topo das maiores despesas das empresas está o custo dos planos de saúde corporativos. Mas, segundo pesquisa recente  do jornal Folha de São Paulo, 80% dos empregados não aceitaram abrir mão deste benefício. Estes empregados acham que estão protegidos por ter um plano de saúde, mas isto é uma ilusão.

Quem nunca deixou de ir a um médico, por falta de tempo? 

Assista nosso vídeo sobre gestão do tempo.

Ou deixou a solicitação de exames que o médico prescreveu indefinidamente na gaveta? Ou não retornou para apresentar os resultados dos exames? 

Se você está empregado e tem um plano de saúde ou pode arcar com seus custos de maneira privada, ótimo. Mas ter a garantia de internação num hospital de renome não garante a sua saúde. É isso que você tem que ter em mente: a busca pelo equilíbrio na sua vida! 

Muitos dirão: “Falar é fácil. Quero ver ter equilíbrio estando desempregado e os boletos chegando ou, mesmo estando empregado, trabalhando sob enorme pressão diária”. Não vou negar a dificuldade, mas em nenhum momento disse que era fácil. Disse que era necessário, fundamental. Morrer todos nós iremos, mas viver sem qualidade de vida é que é o problema.

Quando você consegue tornar a busca pelo equilíbrio uma rotina na sua vida, passará pelos momentos bons com menos euforia e pelos ruins com mais calma.

Minha avó costumava dizer: “Nada como um dia atrás do outro e uma noite no meio”. Ela, que nunca frequentou o ensino formal, possuía a sabedoria de que não adianta se desesperar ou tomar decisões “no calor” do momento. 

Pare. Respire. Durma. Dê uma pausa para seu cérebro se recuperar e buscar uma saída. 

Encontre aquilo que lhe dê prazer e tranquilidade. Dançar, nadar, correr, caminhar, meditar, cozinhar, brincar com as crianças. 20 minutinhos por dia. Todos os dias. Dá prá fazer quaisquer dessas atividades de graça. Encontre a sua. 

Corrida do Bem 2019
Crédito foto: @nevesigor

Dançar numa hora dessas? Minha avó, de novo ela, também dizia:” Tristezas não pagam dívidas”. Não é que você não esteja “ligando” para os problemas. Ao contrário, é uma maneira de proporcionar oxigênio ao seu cérebro para que ele identifique seus reais problemas e encontre opções de saída para eles.

E quando a situação estiver sob controle, será que as empresas reformularão sua formas tradicionais de trabalho? Alguns empecilhos:

  1. Mesmo em empresas de médio a grande porte, a média gerência tem dificuldade em estabelecer quais as entregas dos empregados;
  2. Executivos e gestores confundem produtividade com a quantidade de horas que os empregados passam no local de trabalho; e
  3. Executivos e gestores têm apego ao poder e controle sobre os empregados.

Ou seja, a mudança estrutural do trabalho vai acontecer, mas será na velocidade da mudança do mindset dos gestores, para que as longas jornadas de trabalho, bem acima das 40h semanais legais, ou as horas perdidas no trânsito sejam a exceção a nossa rotina de trabalho. 

Crédito foto: @nevesigor

Tudo isso comprova que o problema não é somente ter ou não ter um emprego formal. O problema maior é você ter ou não ter equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Lutando para não fechar.

Sua empresa está passando por um momento super difícil, lutando para não fechar as portas? Ou, infelizmente, já perdeu a luta? Viva seu luto, mas não deixe de pensar porque a situação está ou chegou nesse ponto.

Pode parecer que a resposta seja fácil: a crise econômica devido à pandemia do coronavírus.

Mas será que foi só isso mesmo? Como era a gestão do seu negócio antes da pandemia? Será que a crise simplesmente não expôs seus problemas estruturais?

Um dia, você teve um sonho e o transformou em realidade. Fez acontecer e foi “tocando o barco”, preocupado e dedicado somente em ações imediatas, visando sobreviver ao próximo mês. Esta realidade lhe é familiar?

Sinto dizer que, com ou sem pandemia, o seu negócio estava fadado ao insucesso.

No início, você conseguia dar conta de tudo, mas, com o tempo, foi ficando difícil se dedicar ao que era realmente estratégico.  Devido à concentração de todas as decisões nas suas mãos, o seu tempo foi sendo consumido na resolução dos pequenos problemas do dia à dia.

E quem analisava os resultados, dominava a cadeia de suprimentos, buscava e avaliava fornecedores, criava formas de conhecer e manter os clientes, estabelecia e proporcionava condições para o atingimento das metas de resultado, preparava a equipe de trabalho? Enfim, tomava decisões profissionais, racionais, com método?

Pois é. Lá se foram o planejamento estratégico, os planos de ação e o controle do orçamento. Viu como a situação já era crítica?

Estratégia
Foto: @nevesigor

E agora? Não adianta ficar empurrando indefinidamente um carro que está com seus pneus arriados. Os pneus têm que ser trocados nem que seja com o carro andando. Se não der para trocar todos de uma vez, trace uma meta e troque um por vez, com prazos estabelecidos.

Para repensar sua maneira de gerir o negócio e descobrir quais são seus “pneus arriados”, faça você mesmo um Diagnóstico Organizacional ou contrate a ajuda de uma consultoria ou do SEBRAE. Resista à tentação de pensar nessa contratação como mais uma despesa e sim, como um investimento.

Gostou da ideia, mas precisa de uma solução imediata, de curtíssimo prazo? Bem, não existem milagres nem jeitinhos, quando o caso se fala em gestão. Você tem que ser profissional. Veja, abaixo, alguma questões indispensáveis que você precisa responder para poder colocar seu plano em ação.

Numa crise, todos se preocupam com a falta de dinheiro, mas o desafio mais significativo, durante e após a crise, é a falta de relevância para os clientes.

  1. Você tem uma base de dados, uma listagem, um cadastro de seus clientes?
  2. Você sabe qual o seu produto de maior relevância para seus clientes?
  3. Seu produto mais relevante pode continuar a ser produzido/vendido neste momento?
  4. Seus produtos podem ser ajustados para atender as novas necessidades e comportamentos dos clientes?
  5. De que maneira você pode se comunicar com seus clientes para que eles saibam que você pode continuar lhes atendendo?

Infelizmente, muitos empresários não conhecem seus clientes.  A crise atual apenas escancarou essa realidade. Se você está incluído nesse grupo, tudo ficará mais difícil. Mas não desista. Arregace as mangas e mãos à obra.

Em relação à área financeira:

  • Você sabe quais são seus custos e despesas mais relevantes? Lembrete: embora pareça o caminho mais fácil para reduzir despesas, demitir pessoal sem uma análise real do custo x benefício não é a melhor decisão
  • O que você está fazendo para cortar ou diminuir custos e despesas?
  • Você tem opções de fornecedores que lhe permitam a melhor negociação possível?

A ausência de comunicações claras e proativas, o stress e a “rádio peão” podem criar situações de ineficiência e pânico, “derrubando” seus planos e metas.

  • Você está se comunicando, rapidamente e de maneira assertiva, com sua equipe, clientes e fornecedores?
  • Como você está orientando e capacitando seu pessoal para enfrentarem a nova realidade?

O mundo não será diferente; ele já está diferente. E não há volta. Organize-se. Profissionalize-se. Você consegue!

Como perder dinheiro com seu atendimento.

Somos apaixonados por Administração e, por isso, em qualquer conversa durante o cafezinho, acabamos identificando bons ou maus exemplos de Gestão.

A conversa de hoje foi sobre uma colega que, tendo seu salário reduzido em 25%, por conta da pandemia, imediatamente partiu para também reduzir seus gastos. Pura boa gestão financeira pessoal!

Um de seus cortes foi a tv a cabo: valor alto, sem eventos esportivos, reprises intermináveis de filmes e séries, etc. Como sua operadora permite a suspensão temporária por até 4 meses, assim ela fez. E é aí que começa nossa análise da gestão empresarial da operadora.

A cliente ligou, passou pelo extenso atendimento eletrônico e, no final, falou diretamente com um atendente humano que seguiu seu script e a solicitação foi concluída com sucesso.

A solicitação ter sido concluída com sucesso significa, para a operadora, perda de receita por 4 meses,

Poderia ter sido adotada uma estratégia de negociação, como, por exemplo: “sabemos que o momento é difícil, então, como a senhora é nossa cliente de muito tempo, podemos oferecer um desconto de 50% pelos próximos 4 meses. Assim, a senhora não perde o acesso aos nossos produtos e reduz sua despesa pela metade”. A cliente poderia não aceitar, mas não valeria a pena tentar? Afinal, estamos falando de uma redução de perda de receita de 100% para 50%.

Empresas quebram e sempre colocam a culpa na crise do momento. Gestão não é para amadores.

Todos somos um.

Foto: @nevesigor

Grandes decisões precisam e devem ser tomadas e, quanto mais conhecimento você tiver, mais assertivas elas serão.

Entretanto, não esqueça de exercitar a empatia e pensar no outro. Somos parte do mesmo todo.

Enferrujado no Ms-Excel?

Aí vão 5 dicas:

1. CTRL Z / CTRL Y (1 minuto para aprender) Use Ctrl Z para desfazer seus erros no Excel. Ctrl Y faz exatamente o oposto — refaz.

2. CTRL + Setas (5 minutos para aprender) Se você já se pegou rolando por uma planilha para chegar ao seu final, pare de fazer isso e comece a usar Ctrl + teclas das setas! Este atalho básico leva-o diretamente ao último dado de uma coluna ou linha que estiver usando. Combine esta função com Ctrl, Shift para realçar/selecionar grandes áreas de dados em segundos.

3. Remover duplicatas (10 minutos para aprender) Faz exatamente o que você espera — remove qualquer duplicata em qualquer intervalo de dados. Você pode encontrá-la na aba Dados e, na seção Ferramenta de Dados da Faixa de Opções. Se quer apenas realçar os dados duplicados, é possível fazer isso usando a Formatação Condicional. O atalho para chegar lá é Alt H L.

Ms-Excel

4. Congelar Painéis (15 minutos para aprender) É possível congelar a linha superior, a primeira coluna ou qualquer quantidade de qualquer uma delas. Identifique as colunas e linhas da área que quer congelar. Em seguida, selecione a célula imediatamente à direita destas colunas e abaixo destas linhas. Vá para a aba Exibir e então, para Congelar Painéis na seção Janela. Alt W F é o atalho.

5. Preenchimento relâmpago (30 minutos para aprender) Suponha que você tem uma relação de códigos de produtos nas primeiras dez células da coluna A, por exemplo: “ABC-00001” até “ABC-00010” e você só precisa dos números depois do ‘-’. Crie o padrão digitando “00001” na primeira célula vazia. Se o Preenchimento Relâmpago estiver acionado (Arquivo, Opções, Avançado), comece a digitar o próximo código de produto na célula de baixo e o Preenchimento Relâmpago reconhecerá o padrão e preencherá o restante do código para você. Basta pressionar Enter para aceitar, ou faça isso manualmente, digitando Dados > Preenchimento Relâmpago, ou Ctrl+E.

Desesperar jamais.

O momento é de crise para as pequenas e médias empresas.

Tanto proprietários quanto empregados sabem que precisam reagir para garantir a existência de seus negócios/empregos nos próximos meses.

Desesperar não é a saída. Vida é 10% o que acontece com você e 90% como você reage a isso (Charles Swindoll)

Foto: @nevesigor

Em momentos de tranquilidade é fácil ter um emocional estável. E neste momento: o que fazer?

Invista constantemente no aprimoramento da sua inteligência emocional. Não existe outra opção, você precisa de equilíbrio e racionalidade para encontrar a resolução dos problemas. Uma mente saudável é primordial em momentos instáveis.

Há luz no fim do túnel.

Hã luz no fim do túnel.

Estamos lidando com uma crise sem precedentes.

Não tínhamos planos de ação prontos para enfrentá-la, por isso sentimentos como frustração, irritação, medo, preocupação, entre outros, têm aparecido com maior frequência do que gostaríamos.

Mas estes sentimentos não devem impedir que o Administrador encontre as melhores soluções para a continuidade de seu negócio, manutenção dos seus empregados e sobrevivência dos pequenos fornecedores. Sim, estamos juntos, somos parte do mesmo problema. Este é o desafio do Administrador. Difícil? Sim, mas não impossível. E lembre-se, você não precisa agir sozinho. Seja transparente, divida com os empregados as dificuldades, ouça as ideias deles, antes de demitir ou cortar salários “corte na carne”, pense fora da caixa e encontre soluções originais e não desista. Vai passar.

Baixa produção em home office?

O dia acabou e você percebeu que não realizou todas as tarefas para as quais se programou.
Mantenha a calma e não se julgue demasiadamente.

A sua lista de tarefas é viável?
Quais os fatores que lhe impediram de realizar tudo? Eles estavam sob o seu controle ou eram circunstâncias externas, sobre as quais você não tinha como intervir?
E não esqueça: o importante é colocar a cabeça no travesseiro à noite e saber que você deu o melhor de si.